Apresentação

O Sindicato dos Profissionais de Polícia identificado com a sigla SPP|PSP, é constituído no seu todo por Policias das várias categorias de Agentes, Chefes e Oficiais da Polícia de Segurança Pública – PSP, com o compromisso de lutar pela defesa dos direitos dos polícias, tanto no passado, como no presente e no futuro.

Representa os Profissionais da Polícia de Segurança Publica, há mais de 25 anos, sendo o genuíno descendente da Associação Profissional de Policias - APP|PSP, criada em 04 de outubro de 1994.

O SPP|PSP surgiu da vontade coletiva de um amplo grupo de associados, que transpondo as barreiras do antissindicalíssimo existente na PSP, imprimiu uma dinâmica incansável na construção de um sindicato forte e unido, determinado a contribuir para a resolução dos problemas dos Profissionais da PSP.

Representatividade

Representatividade

O SPP/PSP representa todos os profissionais da Polícia de Segurança Pública com funções policiais, independentemente da sua categoria.

É, atualmente e de acordo com a lei sindical em vigor, um dos poucos sindicatos de Polícia com representatividade e capacidade negocial junto dos organismos governamentais.

Princípios fundamentais

Princípios fundamentais

O SPP|PSP rege toda a sua ação pelos princípios da liberdade democrática, da igualdade, do pluralismo e da independência.

A democracia constitui referência fundamental e permanente de toda a ação do Sindicato, a qual assenta em princípios de igualdade e no dever de participação dos associados, bem como na faculdade de elegerem ou destituírem os dirigentes e na garantia do direito de livre expressão, assegurando sempre o respeito e o acatamento das deliberações da maioria.

Principais Objetivos

Principais Objetivos

Ao SPP|PSP compete representar os seus associados, interna ou externamente, sempre em defesa dos seus profissionais, e respeitando as regras estatutárias, sociais e deontológicos, de acordo com o regime do exercício de direitos do pessoal da Polícia de Segurança Pública, abordando, nomeadamente, todos os problemas relacionados com o exercício da atividade profissional dos seus associados.

Tem, assim, como objetivo principal a defesa dos interesses económicos, profissionais, sociais e políticos dos seus associados, bem como o dever de potenciar estudos na área onde atua, fomentando a realização de atividades (palestras, reuniões, cursos, etc) dedicadas ao aperfeiçoamento profissional dos seus associados e demais polícias.

Mensagem do Presidente

Foi há mais de três décadas que a história da PSP começou a mudar, com os polícias a fazerem várias conquistas reivindicativas a partir do célebre episódio dos “Secos e Molhados. A 21 de Abril de 1989, os polícias exigiam liberdade sindical, uma folga semanal, transparência na justiça disciplinar com direito de defesa, melhores vencimentos e condições laborais. A manifestação acabou em confrontos com o Corpo de Intervenção da PSP a lançar jatos de água e a usar bastões para dispersar o protesto dos polícias, na Praça do Comércio, em Lisboa, enquanto uma delegação de seis agentes (entre eles alguns dos fundadores do SPP) que estava dentro do Ministério da Administração Interna para entregar um caderno reivindicativo acabava detida.

 

Image

O SPP-PSP vem travando uma luta que dura desde o século passado. Sempre em busca de direitos que têm sido negados aos polícias, com a agravante de umas vezes nos serem concedidos e depois novamente retirados, o que viola o princípio legal de que direitos adquiridos não podem ser retirados. Graças a esse episódio conquistou-se o direito ao associativismo e, mais tarde, ao sindicalismo, embora sem direito à greve. Não importam os anos. A batalha pelos direitos dos polícias continua.

Exige-se que o trabalho daqueles que defendem diariamente a vida de todos os cidadãos seja devidamente reconhecido e compensado, com vencimentos condignos e atribuição de subsídio de risco, que seja igualmente implementado um verdadeiro regulamento das condições de higiene, saúde e segurança no trabalho, que os agressores dos polícias sejam efetivamente punidos. Exigimos o direito à greve e, sobretudo, que o sindicalismo na PSP seja devidamente dignificado.

Vivemos tempos difíceis na PSP. Mas pela defesa dos direitos dos polícias tudo vale a pena. E o SPP-PSP jamais se irá desviar desse objetivo. Não é possível reivindicar o que quer que seja se vivermos amordaçados. Não é possível protestar se os polícias estiverem de serviço em, por exemplo, operações “stop” inopinadas.

O SPP/PSP tem capacidade negocial com o Governo e hierarquia. Tem gabinete dedicado ao apoio jurídico/social dos nossos associados, com a disponibilidade e cobertura em todo o País, nomeadamente com Advogados, Psicólogos, Psiquiatras, Seguros de Saúde Grátis, e um grande número de protocolos/parcerias, com enormes benefícios para os nossos associados. 

Vamos continuar a lutar com toda a força pelos direitos dos Policias, mas para que tal aconteça com o sucesso que todos desejamos precisamos de estar unidos.

Temos motivos e razões para que te juntes a nós, contamos contigo!

O presidente do SPP|PSP

Mário Andrade

Dirigentes SPP|PSP

Paulo Mecedo - UEP
Paulo Mecedo - UEPVice-Presidente | Sul e IlhasEste endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
José Marques - CD Coimbra
José Marques - CD CoimbraVice-Presidente | CentroEste endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Carlos Flor - CM Porto
Carlos Flor - CM PortoVice-Presidente | NorteEste endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Fernando Silva - CM Lisboa
Fernando Silva - CM LisboaTesoureiroEste endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.